4 de jun de 2014

Afraid Of Losing You - Capítulo 39



Justin: Nicole está grávida, e o filho é meu.

Fiquei perplexa ao ouvir aquilo, eu queria que fosse mais um pesadelo, mais infelizmente, não era. 

Eu: Eu, eu não consigo acreditar nisso. 
Justin: Me perdoa, por favor.
Eu: Justin, você tem obrigações agora.
Justin: Eu, eu não queria, sério. - ele falou, trêmulo.
Eu: Posso te pedir uma coisa?
Justin: Qualquer coisa.
Eu: Fica com a Nicole.
Justin: O quê? Eu não posso ficar com ela e - eu o interrompi.
Eu: VOCÊ DEVE FICAR COM ELA. - gritei. Desabei, as lágrimas desceram.
Justin: Dianna, eu não posso ficar com alguém que eu não amo.
Eu: Justin, ela está esperando um filho seu, você deve ficar com ela.
Justin: E você? Como fica?
Eu: Eu te esqueço. E você, faz o mesmo.

Me levantei da cama, sequei minhas lágrimas e caminhei até a porta.

Justin: Dianna, espera! 

Ele segurou meu braço, me impedindo de sair dali.

Eu: Fica com a Nicole.

Destranquei a porta e desci as escadas. Me sentei no sofá e comecei a pensar em tudo novamente, comecei a chorar ali, me deitei e acabei dormindo.

[...]

Acordei com alguém chamando meu nome, abri os olhos lentamente e encarei minha mãe, logo em seguida Pattie, que estava sentada do sofá da frente. 

Trisha: Cadê o Justin, filha? 
Eu: Eu não sei.
Trisha: Como assim não sabe?
Eu: A Nicole está grávida.

Minha mãe e Pattie me olhou sem saber de nada.

Eu: O bebê é do Justin.
Pattie: Como assim? - ela me olhou assustada - Você tem certeza disso, querida?
Eu: Sim. Ele mesmo me disse isso.
Trisha: Eu lamento, Di.
Pattie: Eu também, querida.
Eu: Eu também lamento.

Me levantei do sofá e subi as escadas lentamente. Me dirigi até meu quarto, quer dizer, meu e do Justin. Assim que entrei no quarto me deparei com Justin sentado na mesma poltrona que ele estava sentado há mais ou menos três horas atrás quando conversamos. Ele ergueu a cabeça e me olhou, havia lágrimas em seus olhos.

Justin: Dianna, eu não queria isso.

Fingi que não havia escutado. É muito doloroso para mim saber que a minha pior inimiga está grávida do garoto que eu mais amo no mundo. É mais doloroso ainda saber que, ele me traiu e, Nicole acabou engravidando. Creio que, assim como superei o Eric, superarei também o Justin.
Abri o Closet e peguei três malas de viagem. Enchi duas daquelas malas de roupas, e a terceira de sapatos.

Justin: O que você está fazendo?
Eu: Estou arrumando minhas malas, não está vendo?
Justin: Você vai para onde, Diannna?
Eu: Não interessa à você. Por favor, me deixa em paz, me esquece, é o melhor. 
Justin: Eu te amo, Di, não vá embora.
Eu: Eu lamento, Justin. Cuide bem do seu bebê, eu quero vê-lo quando crescer. Tchau.

Fechei a última mala e a deixei perto da porta. Desci as escadas e minha mãe e Pattie ainda estavam sentadas no sofá, Cléo, Harry, Jazzy e Jaxon também estavam ali.

Cléo: É verdade mesmo que a Nicole está grávida do Justin?

Assenti.

Harry: Eu lamento, Di.
Cléo: Eu também.
Eu: E eu também.
Jazmyn: Quem é Nicole?
Pattie: Ninguém, princesa, ninguém.
Jaxon: Ela vai ter um bebê do Justin?
Pattie: MARIA!

Logo Maria - a empregada - apareceu na sala.

Maria: Sim?
Pattie: Leve Jazzy e Jaxon para tomar banho, por favor.
Maria: Sim, senhora.
Pattie: Obrigada.
Maria: Não há de quê.

Maria levou Jazzy e Jaxon para tomar banho e assim, continuamos a conversar.

Trisha: Você tomou alguma decisão, filha?
Eu: Eu vou voltar para o Brasil.
Cléo: E sua carreira?
Eu: Eu vou dar uma pausa. 
Trisha: Você tem certeza disso?
Eu: Sim. Eu vou ligar para Scooter e Simon.
Pattie: Você pode usar o telefone. - apontou para o mesmo em cima de uma mesinha de centro.
Eu: Obrigada, Pattie.
Pattie: Quero ver você bem, minha querida.

Sorri para ela e me dirigi até o telefone, disquei o número de Scooter, cujo eu sei de cór. Chamou uma vez, duas vezes, e nada terceira ele atendeu.

Eu: Scooter?
Scooter: Sim.
Eu: É a Dianna.
Scooter: Oi, querida. Como você está?
Eu: Estou péssima, Scooter.
Scooter: O que aconteceu?
Eu: Depois eu te conto tudo. Por favor, eu preciso de você e de Simon.
Scooter: Pode falar.
Eu: Eu quero dar uma pequena pausa em minha carreira.
Scooter: Por quê, Dianna? As coisas estão ótimas, não estão?
Eu: Sim, está. Scooter, eu realmente preciso.

Scooter suspirou do outro lado da linha.

Scooter: Você precisa de quanto tempo?
Eu: Dez meses, mais ou  menos.
Scooter: Tudo bem. Mais por quê isso, Dianna?
Eu: Você pode me levar até o Aeroporto Center? No caminho eu explico tudo.
Scooter: Tudo bem, levarei comigo Simon, ok?
Eu: Ok. É necessário que ele vá também. 
Scooter: Você precisará do Jatinho particular? 
Eu: Sim, e por favor. 
Scooter: Daqui uma hora estarei aí. Mansão do Justin, né?
Eu: Sim.
Scooter: Ok. Até daqui à pouco.
Eu: Tá, tchau.

Coloquei o telefone de voltar ao gancho e me dirigi até as escadas.

Trisha: Filha?

Me virei para ela.

Trisha: Eu gostaria muito de ir com você, mais - a interrompi.
Eu: Mãe, quero que você fique com a Pattie, e siga com o seu sonho de ser médica aqui.
Trisha: Filha...
Eu: Mãe, eu vou voltar. E, eu vou ficar bem, não se preocupe.

Subi as escadas rapidamente e logo entrei no banheiro. 
Assim que terminei meu banho, saí enrolada na toalha e fui até o Closet, onde ainda havia algumas roupas minhas.
Me arrumei e dei uma última olhada em Justin, que estava dormindo profundamente enquanto abraçava meu cobertor, sim, o meu cobertor. Uma lágrima desceu de um dos meus olhos e rapidamente a sequei.

— Di? 

Olhei para trás e vi Jazzy segurando uma boneca que eu havia lhe dado há umas duas semanas.

Eu: Oi, princesa.
Jazmyn: Você vai embora?

Antes que eu respondesse, vi Pattie vindo atrás de Jazzy e balançou a cabeça em sinal de negação.

Eu: Claro que não.
Jazmyn: Por quê as malas?
Pattie: Por que a Di irá ficar uns dias fora.
Jazmyn: Ela volta?
Eu: Sim, princesa. Algum dia eu volto.
Jaxon: Dianna! 

Jaxon correu e me abraçou.

Eu: Oi, amorzinho. Tudo bem?
Jaxon: Sim e você?
Eu: Estou bem, eu acho.
Jazmyn: Jaxon, a Di ficará uns dias fora.
Jaxon: Oh, eu sentirei sua falta aqui, Dianna.
Eu: Eu também sentirei sua falta, e a da Jazzy.
Jazmyn: E do Justin? 
Eu: Também, princesa. Enfim, me deem um abraço, eu já tenho que ir.

Jazzy e Jaxon me deram um abraço apertado, eu sentirei tanto a falta desses pequenos.

Jazmyn: Quando você voltar, trás um presente para mim?
Eu: Sim, princesa, eu trago.
Jaxon: E pra mim, Di?
Eu: Pra você também, Jaxon.
Jazmyn: Eu te amo, Di. - ela sorriu.

Sim, eu chorei ao ouvir isso.

Eu: Eu também te amo, minha princesa.
Jaxon: Não chora, Di, eu te amo também.

Sorri.

Eu: Eu te amo também, pequeno.

Dei um beijo na testa de Jaxon e logo em seguida de Jazzy.

Pattie: Jazzy, Jaxon, voltem para o quarto de vocês, certo?
Jazmyn&Jaxon: Tá! - falaram em coro.

Jazzy e Jaxon entraram em seus quartos.

Pattie: Precisa de ajuda com as malas?
Eu: Sim, por favor.


Vish a Dianna vai embora, e agora? :/
Dúvidas: @biebersvadea (Twitter) @lotsgay (Ask.fm)

17 de mai de 2014

Afraid Of Losing You - Capítulo 38




Assim que Justin se retirou do local, o segui.

Eu: Justin! 

Justin apenas parou de andar, mas ainda continuou de costas para mim.

Justin: O quê? - falou com um tom de arrogância -
Eu: Você está assim só por causa do meu selinho com o Ryan?
Justin: E você ainda consegue falar normalmente, como se fosse apenas um beijo no rosto? - falou e se virou para mim - 
Eu: Foi apenas um selinho, fruto de um jogo.
Justin: Ah, claro.
Eu: Justin, por favor, não torne as coisas mais difíceis. Eu não quero brigar com você.
Justin: Nem eu com você.
Eu: Desculpa, sério. Foi apenas um selinho rápido, de três segundos.
Justin: Certeza que não significou nada para você?

Ri.

Eu: Como assim? Ryan é só meu amigo, como também é seu. 
Justin: Aham.
Eu: Justin, por favor.
Justin: Tudo bem, amor.

Sorri e o abracei.

Eu: Eu te amo tanto.
Justin: Eu também te amo, de montão. - falou e beijou minha testa -

Fomos andando até o quarto onde estavam todos.

Ryan: Se reconciliaram?

Assenti.

Ryan: Ah, que ótimo. E, desculpe, Justin.
Justin: Está tudo bem, Ryan.
Ryan: Ótimo, então. - sorriu -

Nicole P.O.V

Assim que fiquei sabendo que a imbecil da Dianna e o Justin voltaram, me senti destruída, porém, isso durou apenas cinco minutos. 
Se você acha que eu, Nicole Adams Smith, já desistiu de separar aqueles dois, você está totalmente enganada. Jianna vai ter um fim de uma vez por todas.
Meu pai falou para mim não fazer nada com a Dianna e deixá-la em paz, eu não entendo o por quê do meu pai a defender tanto, não entendo mesmo. Mais foda-se, eu irei fazer a vida dela um inferno, tirarei tudo dela, especialmente o namoradinho gato.
Peço que vocês deem um adeus ao casal POP mais lindo do mundo, eleito pela Billboard neste ato. Prepare-se para o "bafão" que acontecerá.

Justin P.O.V

O pessoal já havia ido embora, menos Ryan, por que havíamos combinado que ele dormiria aqui esta noite. 
Eu, Dianna, Cléo e Ryan estávamos todos na piscina, na verdade só Cléo e Ryan, eu e Dianna ficamos apenas sentados na cadeira de sol enquanto conversávamos.

Dianna: Quando eu tiver um filho, ou filha, eu quero que o pai seja completamente dedicado, caso contrário, ele pode dar adeus ao brinquedo fodedor dele.
Eu (Justin): Brinquedo fodedor? - gargalhei -
Dianna: É, o que você tem no meio das pernas.
Eu: O que no meio das pernas são meus joelhos.
Dianna: Você entendeu, idiota.

Ri alto.

Eu: Di, você quica?
Dianna: O quê? - ela falou constrangida -
Eu: Só me responde se você quica.
Dianna: Sim. É, eu acho.
Eu: Então, quica em mim perereca.

Ela gargalhou sem parar.
É tão bom vê-la sorrir, essa risada dela é uma das coisas mais preciosas que eu tenho. A puxei para mais perto e a beijei.
O beijo foi interrompido pelo maldito celular que estava tocando. 

Eu: Alô?
— Justin? 
Eu: Ele mesmo. Quem é?
— Não lembra mais de mim? De todas as nossas noites...
Eu: Não, não lembro. Você está ficando louca? Eu tenho namorada.
— Dianna é uma idiota.
Eu: Fala logo quem é.
— É a Nicole, Juju.
Eu: O que você quer? - falei com um tom de voz alto -

Dianna me olhou fixamente. Me afastei um pouco dela.

— Eu preciso lhe contar uma coisa muito importante. - choramingou.
Eu: Estou ouvindo.
— Precisa-se ser pessoalmente.
Eu: Não vai ser possível, desculpe.
— É urgente.
Eu: Eu já disse que não posso. E, me faça um favor de falar o que é, não tenho todo o tempo do mundo, principalmente para você.
— Credo, Justin.
Eu: Fala logo, garota.
— Eu não sei como te dizer isso.
Eu: Você tem duas opções: ou você fala logo, ou, eu desligo o celular.
— Tá.

Ela começou a chorar, eu não entendi o motivo.

Eu: Estou aguardando.
— Eu, eu estou... - ela parou de falar e pude ouvir sua voz de choro - grávida, e, o filho é seu.

Eu realmente não sabia como reagir ao ouvir aquilo. Será que é verdade ou é apenas mais uma das maldades de Nicole? Meu coração bateu mais forte do que o normal, senti minhas mãos soarem. Tudo que eu queria naquele momento era acordar daquele pesadelo horrível.
Desliguei o celular, olhei para Dianna que continuava me olhando, fixamente.  

Dianna: Que era? O que aconteceu?
Eu: A Nicole.
Dianna: A Nicole? O que ela quer com você, Justin?

Pude ver fúria em seus olhos.

Eu: Ela só quer atrapalhar o nosso namoro novamente.

A abracei forte e beijei o topo de sua cabeça. Ela olhou para mim e sorriu, mesmo sem saber o quão meu coração estava partido naquele exato momento. Eu não sei como fui capaz de trai-la, mas, eu nunca pensei que a Nicole poderia ficar grávida. Eu não sei o que fazer, não sei se conto tudo para a Dianna ou arrumo outro jeito de resolver tudo isso.

Dianna P.O.V

Eu (Dianna): Cléo, cadê o Harry?
Cléo: No meu bolso que não está.
Eu: Vocês brigaram de novo?
Cléo: Sim. Ele é um babaca.
Eu: Por quê vocês brigaram?
Cléo: Por que ele não quis pintar minhas unhas.
Eu: Sério isso, Cléo?

Ela assentiu. 

Eu: Que babaca você. - gargalhei - 
Cléo: Ah, vai dá o cu pro seu namorado. 
Eu: Dá o cu é pecado.
Cléo: Foda-se. Cadê o seu namorado mesmo, hein?
Eu: Na sala de jogos com o Ryan jogando ping-pong.
— Falando de mim?

Sim, era o Justin.

Eu: Oi, amor. 

Justin selou nossos lábios e deu um beijo no rosto de Cléo.

Justin: Amor, eu preciso falar com você. 
Cléo: Dianna, depois nos falamos.
Eu: Ok

Justin sentou-se numa poltrona ficando de frente para mim.

Justin: Vou ser bem direto com você.
Eu: Agradeço.
Justin: É sobre a Nicole.

Abaixei a cabeça.

Justin: Ei - falou erguendo meu rosto - não abaixa a cabeça senão a coroa cai.

Lágrimas invadiram meu rosto.

Eu: Fala logo o que você tem pra falar.

Justin suspirou.

Justin: Nicole está grávida, e o filho é meu.


Advinha quem voltou pra ficaaaaaaaaaar! KAROL! Que saudades de vocêeeeeeees! ♥ Então gente, eu fiquei TANTO tempo sem postar, né? Mais enfim, eu volteeeeeeeei pra ficar com vocês. Aconteceram muitas coisas na minha vida nos últimos dias, por isso, eu nunca mais postei nada. Mais eu já estou de volta e vou postar toda semana \o/ I Believe In Us já está sendo escrita e, assim que Afraid Of Losing You acabar (calmem, ainda irá demorar um pouco) estarei postando o Prólogo. Beijos da tia Karol, amor vocês demais obrigada por ainda estarem comigo, prometo que serei mais franca dessa vez ♥ Falem comigo no Twitter: @glwes 

2 de abr de 2014

Afraid Of Losing You - Capítulo 37

> Peço desculpa por qualquer erro ortográfico, eu não reli o capítulo. <

Eu: Mas eu quero de calabresa, amorzinho. - falei pra Justin, choramingando.
Justin: Vamos pedir de atum, amor.
Eu: Mas eu quero de calabresa. Chaz, convence ele. 

Chaz encarou Justin.

Chaz: Pede de calabresa, Justin. É melhor que atum.
Justin: Não é, atum é melhor.
Cléo: Atum é horrível, Justin.
Harry: Concordo.
Ryan: Vamos fazer uma votação: quem prefere de calabresa?

Eu, Alfredo, Chaz, Cléo, Harry, Caitlin e Jasmine levantaram a mão.
Todos olhamos para Justin e Chris.

Eu: Justin meu amor, lamento dizer mas, ganhamos.
Chaz: Pizza de calabresa para nós. - falou animado.
Justin: Que caralho, princesa.
Eu: Não xingue, amor, obrigada, de nada.
Justin: De nada. - ele riu.
Alfredo: Para de mi mi vocês e peçam logo as três pizzas.

Sim, será necessário três pizzas para nós vermos um só filme.

Chris: Não esquece as refrigerantes.

E duas coca-colas de dois litros, claro.

Cléo: De acordo com os meu cálculos, isso nos faz engordar.
Eu: Até parece que eu gata, diva, glamourosa e gostosa desse jeito vou engordar.

Todos riram.

Chris: Vamos logo ver o filme. - falou ainda rindo.

[...]

Fazia meia hora que o filme havia começado. Justin e eu estávamos deitados no carpete enorme da sala cobertos por um cobertor. Eu estava deitada no peitoral do Justin enquanto ele acariciava meus cabelos. Cléo estava deitada no colo do Chris e eu ri da cena. Jasmine estava deitada com Chaz, e Caitlin abraçada com Ryan enquanto cochilava apenas pelo fato de não gostar de filme de terror. 
Justin selou nossos lábios e logo iniciamos um beijo.

Cléo: Começou.
Ryan: Dá pra vocês pararem, mais respeito por favor, estamos no meio do filme. - falou baixo.

Justin mostrou o dedo do meio e eu ri.

[...]

Cléo: Eu não quero jogar verdade ou desafio. - falou choramingando -
Eu: Caralho, não vai ter nada demais.
Chris: Vamos, Cléo.

Todos olharam para ela. Cléo suspirou.

Cléo: Tá, eu jogo.
Justin: Beleza! Ryan pega uma garrafa vazia de askov que tem no armário pra mim?

Ryan assentiu e foi até a cozinha. Eu, Justin, Cléo, Caitlin, Jasmine e Chris sentamos no formato de uma roda enquanto esperávamos o Ryan com a garrafa para começarmos com o jogo. 
Ryan chegou com a garrafa e sentou-se junto a todos na roda.

Chris: Eu giro primeiro.

Chris rodou a garrafa e parou no Chaz.

Chris: Verdade ou desafio?
Chaz: hmmmm... Desafio.
Chris: Eu desafio você a dá um selinho na minha irmã.

Caitlin arregalou os olhos. Chaz se aproximou de Caitlin  deu uma risadinha.

Caitlin: Por que isso comigo? Por que meu Deus?
Chris: Tem que cumprir o desafio, maninha.
Caitlin: Ah, vai tomar no seu - a interrompi.
Eu: Ow ow! Vamos parar.
Jasmine: Cai, é só um selinho.

Caitlin respirou fundo

Caitlin: Tá, tá.

Caitlin se virou para Chaz logo colando seus lábios com o dele. Sorri ao perceber que aquele simples selinho se tornou em um beijo. 
Eles pararam de se beijar assim que percebeu nosso olhares.

Chris: Era só um selinho, poxa.
Eu: Achei digno.
Chaz: Eu também achei digno.
Caitlin: Você é um nojento, Chaz.
Chaz: Mas eu não te fiz nada.
Ryan: Vamos continuar o jogo, depois vocês discutem. Que saco!
Justin: Gira a garrafa, Cai.

Caitlin girou a garrafa e parou no Ryan.

Caitlin: Verdade ou desafio?
Ryan: Desafio, óbvio.
Caitlin: Eu desafio você a dar um selinho na Di.
Justin: CAITLIN BEADLES! - ele gritou.
Caitlin: Só um selinho, de amigos.
Ryan: Nada demais, Justin.
Eu: Cai... - falei choramingando.
Chris: Caralho, é só um selinho, cara.
Justin: Vocês não prestam mesmo, né.
Caitlin: Já pode cumprir o desafio, Ryan.

Ryan não falou nada, só se aproximou de mim e selou nosso lábios, rapidamente. Justin não ficou com a cara muito boa e, rapidamente se retirou do local.

Poxa, Jianna nunca está bem, né? :( Mais vamos combinar que, Justin exagerou, é apenas um jogo e, os desafios têm que ser cumpridos. 
Gente, mais um vez eu atrasei muito e muito o capítulo. Tipo, estou estrando em semana de provas e teno que completar meus cadernos pois, não copio dentro da sala (risos) e, minha internet não anda nada boa nesses últimos dias. Eu refiz esse Capítulo duas vezes e ainda não ficou muito bom, pelo menos eu postei, né?! Falem comigo no Twitter @glwes. Beijo da tia Karol.

14 de mar de 2014

Afraid Of Losing You - Capítulo 36



É incrível como uma só pessoa pode nos fazer tão bem. Há quase dois anos eu realizei meu sonho: conhecer o meu cantor favorito, Justin Bieber. Eu sinceramente nunca imaginei que eu namoraria o Justin Bieber, o garoto mais cobiçado do mundo inteiro. Nunca imaginei ser uma cantora brasileira e fazer sucesso nos EUA e ser uma das jovens mais ricas do mundo inteiro.
Daqui a uma semana, meu namoro com Justin completará dois anos. Dois anos ao lado do garoto que eu sempre amei, e amarei dependente do que ele fizer. Uma das coisas mais valiosa para mim é acordar todos os dias e ver que ele está ao meu lado. 
Ver Jaxon e Jazmyn correndo pela casa é como um presente para mim, elas não são apenas duas crianças, são crianças que fazem parte da família do garoto que eu mais amo. Conviver com a família Bieber é a coisa mais especial para mim. Há algum tempo atrás eu morava no Brasil e meu sonho era abraçar cada pessoa da família Bieber, e, olha onde eu estou: convivendo com ela. A família Bieber demostram carinho para mim, e eu realmente acredito que todos gostam de mim, e eu gosto de cada um deles. 
Pattie e minha mãe - amigas inseparáveis - havia saído com as crianças e com Jeremy. Cléo acabou pegando no sono assim que voltamos do StarBucks. Eu e Justin ficamos na sala vendo TV. 

Justin: Fazia tempo que não ficávamos mais a sós. - mordeu o lábio inferior.
Eu: Você para, tá. - falei com um tom de brincadeira, ele gargalhou.
Justin: Eu estou falando sério. - apertou minha coxa, o que me fez gemer.
Eu: Fizemos isso há uma semana, para de ser ousado.
Justin: Você move minhas estruturas.

Ri alto.

Eu: Uau, que filosofo. - falei rindo.

Ele mostrou língua.

Eu: Quem mostra língua pede beijo.
Justin: Pula em mim, perereca. 

Gargalhei.

Eu: Como você é idiota. 
Justin: Idiota que você ama.
Eu: Muito.

Ele sorriu e selou nossos lábios.

Justin: Qual o seu maior sonho?
Eu: Ter filhos. E o seu?
Justin: Ser o pai deles.

Rimos juntos.

Justin: Quantos filhos vamos ter?
Eu: Não sei. Quantos está bom para você?
Justin: Dois, o que acha?
Eu: Dois, tipo, um casal?
Justin: Sim.
Eu: É simplesmente o meu sonho.
Justin: Amor.
Eu: Sim?
Justin: E o diário lilás?
Eu: O que tem ele?
Justin: Onde está?
Eu: Eu o guardei.
Justin: Você comentou sobre ele com a sua mãe?
Eu: Não. - falei.
Justin: Você terminou de lê-lo?
Eu: Não. - repeti.
Justin: Nem ao menos leu o nome da sua irmã?
Eu: Não. - repeti novamente.
Justin: Você não tem nenhum interesse?
Eu: Talvez medo.
Justin: Medo de quê?
Eu: Eu não sei.
Justin: Vamos terminar de lê-lo?

Fiquei em silêncio por alguns segundos.

Eu: Não acho uma boa ideia.
Justin: Se alguma coisa acontecer, eu vou estar com você.
Eu: Você promete?
Justin: Eu prometo.

Me levantei do sofá e caminhei até a escada, subi pulando alguns degraus. Entrei no quarto onde eu e Justin dormíamos e abri a pequena gaveta da escrivaninha e peguei o diário lilás que eu havia guardado ali há um ano, quando chegamos de Paris. Desci as escadas e novamente sentei no sofá ao lado de Justin. Abri o diário na primeira folha, respirei fundo e comei a lê-lo.

"... bem, ela se chama Nicole Adams Smith...

Não pode ser. Parei de ler assim que vi o nome da Nicole ali.

Justin: Nicole Adams Smith? 
Eu: Justin, isso não pode ser verdade, sério. 

Tentei segurar as lágrimas, mas foi uma tentativa inútil.

Justin: Olha, Di, pode ser que não seja a Nicole que conhecemos.
Eu: Mas é ela, Justin, o nome dela é Nicole Adams Smith.

Justin secou minha lágrimas e me abraçou.

Eu: É por isso que eu tinha medo de terminar de ler esse diário.
Justin: Me desculpa, eu que te incentivei a ler.
Eu: Tudo bem, Justin. - dei uma pausa - Eu não consigo acreditar que minha irmã foi a pessoa que mais me fez sofrer nessa vida. Está vendo essas cicatrizes?  - mostrei meus pulsos para ele - Tudo isso foi culpa dela.

Justin segurou minhas mãos e beijou meus pulsos.

Justin: Você é uma guerreira, não chore.
Eu: Tudo estava bem, tudo parecia bem.
Justin: Tudo vai ficar bem, eu prometo.

[...]

Trisha: Eu já sabia de tudo, filha.
Eu: O quê? Como assim, mãe? Você sabia desse diário? Você sabia que a Nicole é minha irmã?
Trisha: Sim, Dianna.
Eu: Por quê você nunca me contou nada? Você sabe o quanto eu sofri com a Nicole? Mãe, ela me faz chorar sempre que pôde, ela já fez da minha vida um inferno.
Trisha: Perdoe-me, filha.
Eu: O que custava você me contar, mãe?!
Trisha: Só... me desculpe.

Suspirei.

Justin: Dianna, fica calma, busque entender o lado da sua mãe.
Eu: Eu não vou ficar calma, Justin.
Trisha: Eu falei com o seu pai ontem, ele quer te ver.
Eu: Claro, claro que ele quer me ver. Eu sou a Dianna Smith.
Trisha: O que você quer dizer com isso?
Eu: Agora que a filha dele é rica e famosa ele quer vê-la de novo. 
Trisha: Não fale assim dele, Dianna.
Eu: Eu falo do jeito que eu quiser com ele, ele é um completo babaca, me abandonou quando eu mais precisava dele, eu era apenas uma criança.
Trisha: Você não pode tratar seu pai desse jeito, Dianna.
Eu: Eu posso e devo.
Justin: Dianna, ele é seu pai.
Eu: Mas ele não agiu como um.

Subi as escadas com lágrimas nos olhos e sem olhar para trás. Eu sinceramente não consigo entender o motivo da minha mãe não ter me contado a verdade. Aquele babaca ainda quer me ver, como ele pode ser tão cínico? Ele verá que eu não sou mais a Dianna doce e meiga que ele abandonou, ele sentirá o desprezo de sua própria filha. Eu espero de todo o coração que a Nicole não venha com ele, caso contrário, eu sou capaz de jogar ela na piscina de lazer.

Capítulo pequeno por causa da preguiça. Bem está aí uma revelação para vocês. Vocês irão se surpreender com quem é o pai da Dianna. Fiquem atentas. Ah, falem comigo pelo twitter @fckedbizzle. Beijos da tia karol.